Arquivo da tag: alimentação

Excesso de gordura na mesa dos brasileiros

A dieta do brasileiro, em especial dos adolescentes, se caracteriza pelo alto consumo de alimentos ricos em gorduras, açúcar, sódio e pobres em micronutrientes.

A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009), divulgada pelo IBGE, recentemente, mostrou um padrão alimentar inadequado pela maioria dos brasileiros, caracterizado pelo alto consumo de alimentos ricos em gorduras, açúcar e sódio e pobres em micronutrientes, combinado à baixa ingestão de alimentos protetores, como frutas, verduras, legumes e grãos integrais, particularmente entre os adolescentes. O público jovem consome entre 10% e 15% mais gorduras do que os adultos.

“Na atenção às doenças crônicas, além desse papel central que a alimentação desempenha, também deve ser promovido todo o modo de vida saudável, que inclui a redução do sedentarismo por meio da promoção de práticas corporais e atividades físicas e a redução do tabagismo e do consumo excessivo de álcool, entre outros fatores de risco”, destaca a coordenadora nacional de Alimentação e Nutrição do Ministério da Saúde, Patrícia Jaime.

EXCESSO – Segundo dados da pesquisa, a ingestão diária de colesterol é maior em homens do que em mulheres e supera os 200 mg para todas as regiões e idades (exceto as idosas). Porém, na região Norte há consumo maior do que 300 mg/dia e no Nordeste, chega a 299,1 mg/dia.

No combate ao colesterol, é importante também considerar a ingestão das gorduras saturadas e trans. A participação das gorduras saturadas no total de calorias/dia não deve ultrapassar 10% ao dia. A pesquisa revela que este consumo está acima de 9% para ambos os sexos em todas as faixas etárias, chegando a valores entre 9,7% e 9,9% entre os adolescentes.

Para Patrícia Jaime, o consumo das gorduras trans está diretamente associado aos alimentos processados e traz como consequências maior risco de aumento do colesterol total e do LDL (o chamado “colesterol ruim”) e redução do HDL (conhecido como “colesterol bom”).

DIETA SAUDÁVEL – A prevenção e o controle dos problemas relacionados ao consumo excessivo do colesterol não se limitam a orientações para evitar o consumo de alimentos gordurosos, mas deve associar-se a outros hábitos alimentares saudável no dia-a-dia.

A coordenadora Patrícia destaca a importância de valorizar o consumo de alimentos tradicionais, como o arroz e o feijão, e complementá-los com outros alimentos naturais ou minimamente processados, como frutas, verduras, leguminosas, leite, grãos integrais, oleaginosas e peixes nas refeições, em substituição a alimentos com baixo teor de nutrientes e alta densidade energética, que contribuem para as atuais prevalências de doenças crônicas.

GUIA ALIMENTAR – O Ministério da Saúde disponibiliza o Guia Alimentar para a População Brasileira, disponível no Portal da Saúde. A publicação traz diretrizes específicas para incentivar o consumo de alimentos saudáveis e orientações sobre as refeições. A recomendação é que se faça pelo menos três refeições diárias, intercaladas por lanches. Outras diretrizes explicam os diferentes grupos alimentares e os principais nutrientes.

ACADEMIA DA SAÚDE – Até 2014,o Ministério da Saúde vai implementar 4 mil pólos do Programa Academia da Saúde em todo o país. A ação prevê uma série de medidas voltadas à promoção da saúde dos brasileiros no SUS, com a criação de espaços específicos para o desenvolvimento de práticas corporais, atividades físicas, lazer e de modos de vida saudáveis.

A exemplo dos programas desenvolvidos em algumas capitais, o Academia da Saúde busca eliminar barreiras como a inexistência de espaços públicos de lazer, o que reduz a possibilidade de acesso às práticas corporais pela maioria da população. As instruções para os gestores participarem do programa podem ser obtidas no site http://portal.saude.gov.br/portal/saude/profissional/area.cfm?id_area=1801

Preste atenção no que você consome:
Alimentos ricos em colesterol:
Bacon, chantilly, ovas de peixes, biscoitos amanteigados, doces cremosos, peles de aves, camarão, queijos amarelos, carnes vermelhas /gordas/, gema de ovos, sorvetes cremosos, creme de leite, lagosta

Alimentos que ajudam a reduzir o colesterol:

Aipo, couve-de-bruxelas, bagaço da laranja, ameixa preta, couve-flor, mamão, amora, damasco, mandioca, azeite de oliva, ervilha, pão integral, aveia, farelo de aveia, pêra, cenoura, farelo de trigo, pêssego, cereais integrais, feijão, quiabo, cevada, figo, vegetais folhosos

Os dez passos para uma alimentação saudável:

1 – Faça três refeições e um lanche por dia. Não pule as refeições e evite beliscar entre as refeições.
2 – Inclua diariamente 6 porções do grupo do cereais (arroz, milho, trigo, pães e massas), tubérculos como as batatas e raízes como a mandioca nas refeições. Dê preferência aos grãos integrais e aos alimentos na sua forma mais natural.
3 – Coma diariamente pelo menos 3 porções de legumes e verduras como parte das refeições e 3 porções ou mais de frutas nas sobremesas e lanches.
4 – Coma feijão com arroz todos os dias ou , pelo menos, 5 vezes por semana. Esse prato brasileiro é uma combinação completa de proteínas e bom para a saúde.
5 – Consuma diariamente 3 porções de leite e derivados e 1 porção de carnes, aves, peixes ou ovos. Retirar a gordura aparente das carnes e a pele das aves antes da preparação torna esses alimentos mais saudáveis!
6 – Consuma, no máximo, 1 porção por dia de óleos vegetais, azeite, manteiga ou margarina.
7 – Evite refrigerantes e sucos industrializados, bolos, biscoitos doces e recheados, sobremesas e outras guloseimas como regra da alimentação.
8 – Diminua a quantidade de sal na comida e retire o saleiro da mesa.
9 – Beba pelo menos 2 litros (6 a 8 copos) de água por dia. Dê preferência ao consumo de água nos intervalos das refeições.
10 – Torne sua vida mais saudável. Pratique atividades físicas todos os dias e evite as bebidas alcoólicas e o fumo.

Busca de uma vida saudável com felicidade

Lançamento do endocrinologista Filippo Pedrinola impulsiona a mudança de hábitos no nosso dia a dia

Com o passar dos anos, mudar determinados hábitos torna-se uma verdadeira missão. Pensando nisso, o nosso colunista, o endocrinologista Felippo Pedrinola acaba de lançar um livro para carregarmos na bolsa e que vai impulsionar mudanças importantes. Em ‘Um convite à saúde’, Editora Abril, o autor revela, com clareza, a necessidade de se estabelecer conexões entre corpo, mente e espírito, para quem busca uma vida saudável e plena. 

Não adianta comer bem e ficar parado ou fazer ginástica e não dormir direito. Também não basta olhar para o corpo sem cuidar da mente e sem observar como o modo de encarar os problemas influencia nas suas emoções. A novíssima Medicina entende que tudo no nosso organismo funciona de maneira integrada.

Respeitando nossos gostos, desgostos, convicções e rejeições, o livro nos mostra que não há sacrifícios quando o assunto é saúde, porque um único ajuste no estilo de vida já é capaz de desencadear um círculo virtuoso.

Em capítulos saborosos, Pedrinola apresenta dilemas comuns a todos nós. São questionamentos sobre envelhecimento, sobre o papel do sono, sobre as diferenças entre homens e mulheres, a interferência das emoções. E não nos deixa esquecer o principal: a saúde é uma grande conquista que está em nossas mãos.

Está esperando o que? O exemplar custa apenas R$ 24,90 e está disponível em bancas de revistas e livrarias

Energia para a corrida e outros esportes

Uma pergunta muito comum é “ Dr. o que devo comer antes, durante e depois do meu treino?.. “ Ah, mas não quero engordar”.

Inicialmente,  precisamos de fontes de energia porque o organismo precisa de combustível para fazer frente ao aumento da contração muscular, do trabalho de resistência (musculação) e aeróbico. São 3 os grupos alimentares que fornecem energia: carboidratos, proteínas e gorduras. O seu corpo irá decidir qual fonte irá usar dependendo da intensidade e duração do exercício, alem do nível de condicionamento e levará em conta também o que você comeu antes do exercício. Quanto mais intenso for o exercício, mais o organismo usará estoques de carboidratos que ficam nos músculos e no fígado. Esse estoque se chama glicogênio e é suficiente para 90 a 180 minutos de exercícios moderado (Exemplo: caminhar rápido ou trote) e daí para frente o corpo passa a usar mais os estoques de gordura. No caso de atividade anaeróbica (Ex: musculação) as reservas de glicogênio duram por volta de 30 a 40 minutos e, quanto melhor fica seu condicionamento físico, mais eficiente se torna o seu organismo para queimar gorduras.

Antes de iniciar o exercício, de forma geral, se recomenda consumir 1g de carboidrato por quilo de peso, ou seja, se você pesa 60kg, devera consumir 60g de carboidratos. Isso equivale, por exemplo, a 3 fatias de pão integral ou 1 barra de cereais e deve ser consumida por volta de 1h antes do treino.

Durante o exercícios, caso se extenda por 60` ou  mais, recomenda-se ingerir por volta de 30 a 60g de carboidratos por hora com o objetivo de evitar fadiga. Uma sugestão seria 1 garrafa de bebida isotônica.

Além disso, devemos lembrar que as proteínas são fundamentais para a construção de músculos, portanto, para quem faz exercícios regulares, recomenda-se ingerir 1 a 2g de proteínas por quilo de peso por dia. Para dar um exemplo, 1 peito de frango (130g)grelhado tem por volta de 35g de proteínas.

Não se esqueça que para tirar proveito da atividade física é importante fornecer o combustível adequado!

Filippo Pedrinola é endocrinologista

Alimentação, gestação e verão

Ontem, dia 21 de dezembro, entramos oficialmente na estação mais quente do ano. Cuidados específicos com pele, cabelo e alimentação são importantes para todas as pessoas. Imagine, então, para uma gestante. Na sua coluna deste mês, a Dra. Alessandra Rascovski fala dos cuidados redobrados com as futuras mamães e dá várias dicas para enfrentar esse calorão que já está aí. “Com a chegada do verão algumas modificações acontecem no nosso organismo. Portanto, neste período nós precisamos de uma atenção quanto à alimentação, especialmente se você estiver na gestação.  Comidas leves e nutritivas são as mais indicadas para esta estação. Além disso, nos dias quentes ocorre uma maior perda de líquidos e minerais, devido ao aumento da temperatura corporal e a transpiração excessiva”, diz Dra. Alessandra.

Saiba tudo sobre a enxaqueca e seja feliz

Em maior ou menor grau, é rara a mulher que não tem enxaqueca. Crônica, por causas alimentares ou só na TPM, ela castiga e atrapalha a rotina. Na coluna deste mês, a Dra. Daniela Hueb explica os motivos e ensina como tratar esse incômodo mensal: “Trata-se de um desequilíbrio químico no cérebro, resultado de uma série de outros desequilíbrios neuroquímicos e hormonais, decorrentes do estilo de vida e hábitos do portador da doença. Predisposição genética também é um dos fatores que causam a enxaqueca”, diz. O resultado é uma série de sintomas, que podem ir muito além da dor de cabeça. Por sinal, existem casos de crises de enxaqueca sem ou com muito pouca dor. Geralmente, a dor de cabeça é o sintoma mais conhecido e varia de moderada a severa. A dor pode ser latejante, pesada ou como uma sensação de pressão, como se a cabeça fosse explodir.