Maternidade: hora de repensar a carreira

Junto com o bebê recém-saído da maternidade, chega em casa uma nova mulher, que deixará a carreira de lado por alguns meses para iniciar-se como mãe. Porém, depois da licença-maternidade, muitas mulheres se sentem um pouco perdidas em relação ao retorno ao mercado de trabalho. E por que isso acontece?

De acordo com Stella Angerami, pioneira na prática do counselling no Brasil, – que possui ampla experiência no aconselhamento de executivos de alta gestão e nível gerencial e na formação de consultores, – isso ocorre por que as mulheres  não visualizaram antes o que aconteceria depois do nascimento dos filhos. “Na verdade, elas são pegas de surpresa com as rápidas mudanças que hoje acontecem no mercado e não se preparam para elas. Sair de licença e retornar requer um plano de negócios. Mas, como a maternidade deixa a mulher em estado alfa, isso nem passa pela cabeça das mamães. Com mais poder aquisitivo, elas estão mais preocupadas, por exemplo, com a escolha do enxoval,  do nome do bebe e da cor do quarto”, esclarece.

Stella, que é uma das autoras do livro “Bem-me-quer, malmequer: histórias verdadeiras de mulheres e suas escolhas de carreira”, da Editora Évora, alerta para o fato do ser humano ter ciclos e de diferentes durações, além de muitos talentos. “Ao despertar para o novo papel de mãe, a mulher se redescobre e aprende novas habilidades. Além disso, outros sentimentos são despertados, como a vontade de dividir mais o seu tempo entre trabalho e filhos, o prazer de diversificar as tarefas ao longo do dia e de não querer mais se submeter a tudo a qualquer preço”, orienta a especialista.

Sim, nessa fase, a mulher descobre uma nova escala de valores pessoais, o que a leva, em alguns casos, a arriscar-se na abertura de um negócio próprio. Para as empreendedoras, Stella aconselha ser preferível montar algo com que se tem afinidade, conhecimento e familiaridade. “O negócio tem que vir de dentro para fora, pois no momento do turbilhão externo,  como mudanças econômicas e estruturais, existe o suporte desse pilar de sustentação. Porém, para ser empresária, primeiro a mulher precisa entender se tem perfil para isso. Depois, questionar-se sobre a vontade de realmente tornar-se empreendedora e planejar qual será o seu negócio, com muita pesquisa, treinamento e os dois pés no chão”, conclui Stella, que voltará em breve ao Clube da Calcinha, após a chegada da filha, para nos contar sobre a condução da conciliação dos seus diferentes papéis.

Mais informações sobre o livro “Bem-me-quer, Malmequer: Histórias verdadeiras de mulheres e suas escolhas de
carreiras”, você encontra no site da editora www.editoraevora.com.br

5 comentários sobre “Maternidade: hora de repensar a carreira

  1. In addition, other feelings are awakened as a desire to share more time between work and children, for pleasure, to diversify tasks throughout the day and not wanting to present it at any cost.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>