Arquivos mensais: maio 2011

Crises de enxaqueca ou dor de cabeça constante? O problema pode estar no anticoncepcional

Pacientes podem desenvolver crises pontuais no período menstrual devido à interferência de hormônios femininos como o estrogênio, frequentemente presente nos contraceptivos de uso oral

As crises de enxaqueca da mulher habitualmente se iniciam na adolescência, exatamente quando os hormônios femininos começam a ganhar força e alterar suas funções metabólicas. O que acontece é que, na maioria das mulheres, é justamente no período do mês em que os sintomas da menstruação começam a aparecer que as dores de cabeça também se intensificam.

Estudos comprovam que aproximadamente 60% das mulheres com enxaqueca relatam dor de cabeça nos ciclos menstruais, sendo que cerca de 30% têm crises em todas as suas menstruações regularmente, especialmente dois ou três dias antes do ciclo menstrual ou no primeiro dia de início da menstruação. A explicação está no hormônio feminino estrogênio, cujas taxas se elevam durante a menstruação.

Da mesma forma que os hormônios próprios da mulher podem influenciar agravando a enxaqueca, os anticoncepcionais ou as terapias de reposição hormonal também costumam aumentar os sintomas da doença. Em muitos casos, mulheres que nunca tiveram enxaqueca passam a desenvolvê-la assim que iniciam o uso de anticoncepcionais, especialmente os de ingestão oral. O problema se deve à formulação mais frequentemente utilizada nesse tipo de anticoncepcional, baseada em uma combinação de estrogênio e progesterona, elementos prejudiciais para a mulher que sofre de enxaqueca.

Para quem já sofria com a doença, a piora das crises com o uso dos contraceptivos orais é muito mais comum do que se imagina. Apesar de adesivos transdérmicos, anéis vaginais e implantes subdérmicos começarem a chegar ao mercado brasileiro de contracepção, o método mais comum ainda é o dos comprimidos. Assim, os ataques da enxaqueca em mulheres que consomem anticoncepcionais com base em estrogênio e progesterona tendem a piorar em termos de frequência, ou seja, são mais dias com dores constantes, e intensidade, passando de dor moderada para forte.

Os dias da menstruação, exatamente quando se suspende o uso do medicamento, são aqueles em que as dores de cabeça e enxaquecas costumam chegar com força total. Isso acontece justamente porque a diminuição dos níveis de estrogênio acaba levando a mulher a uma espécie de “crise de abstinência” que, somada às alterações hormonais constantes nesse período, faz com que as dores aumentem.

E é bom ficar atenta: em alguns casos, a combinação de contraceptivos orais e enxaqueca pode, inclusive, ser fatal. Estudos sugerem que a cefaleia está associada também ao aumento do risco de doença cerebrovascular, o famoso derrame, risco esse que pode ser elevado pelo uso dos anticoncepcionais. Ele é aumentado quando a mulher apresenta enxaqueca com aura, ou seja, aquela acompanhada de alterações visuais, formigamentos ou alterações na fala, de modo que, nesses casos, a Sociedade Internacional de Cefaleia desaconselha o uso das pílulas anticoncepcionais. Outros fatores também aumentam esse tipo de incidência, com especial destaque para o fumo, a obesidade, o diabetes e a hipertensão.

Dra. Carla Jevoux – neurologista – Rio de Janeiro
www.carlajevoux.com.br

Revista Crescer oferece curso para gestantes

Quem está grávida ou planeja ter um bebê sabe que são muitas as dúvidas que permeiam essa fase. Posso comer qualquer alimento? Quantos quilos devo engordar? Como faço para evitar as estrias? Fazer atividade física prejudica o bebê? E o meu marido, como fica nessa história? Para ajudar os pais a lidar com tantas novidades, a CRESCER lança, no dia 16 de maio, um curso para as gestantes: www.crescer.com.br/cursodegestante. O programa é gratuito e para participar basta preeccher um cadastro.

São dez aulas no total e os temas abordados acompanham os pais desde a descoberta da gravidez até o fim da licença maternidade. Diferente dos cursos de gestante convencionais, o curso CRESCER auxilia as mães com dicas práticas de como cuidar da beleza durante os nove meses, informações importantes de como escolher a maternidade certa e como economizar nos preparativos para a chegada do bebê.  “O projeto cobre todos os assuntos abordados em um curso tradicional e ainda traz informações complementares que consideramos úteis nessa fase da vida da mulher”, explica a Diretora de Redação da CRESCER , Paula Perim. 

Mas e os pais, como entram na história? Um dos capítulos é dedicado especialmente aos companheiros de viagem. Como lidar com as alterações de humor da parceira, de que forma o homem pode ajudar durante o trabalho de parto e como manter ativa a vida sexual são algumas das dúvidas esclarecidas.

Cada aula é composta por reportagens, entrevistas com especialistas, infográficos interativos e vídeos para as futuras mães verem como tudo é na prática. A ideia é que os pais reservem uma hora para fazer cada aula. O curso pode ser feito na sequência ou de forma aleatória. Para avançar nas aulas, não é exigido nenhum pré-requisito como realização de prova ou conhecimento da fase anterior.

Além de toda a experiência da CRESCER, acumulada em mais de 17 anos no mercado editorial, o conteúdo do curso é baseado em entrevistas realizadas com especialistas– psicólogos, ginecologistas, pediatras etc. “A ideia foi mesclar explicações teóricas com dicas práticas para uma mãe moderna, que além de saúde também busca bem-estar e auto-estima”, detalha Paula Perim.

Dia das Mães: Como dar nome aos filhos e outras coisitas sobre espiritualidade

Maio é um mês especial, principalmente por se comemorar em seu segundo domingo o Dia das Mães. E, por falar nesse dia maravilhoso, fomos às ruas perguntar às mães o que elas mais gostariam de saber com relação à espiritualidade, ao nome de seus filhos e também se elas “curtem” rituais.

A primeira pergunta foi: “Você gostaria que seu filho tivesse um nome que atrai saúde, amor e prosperidade?” A resposta foi sim, é claro. Vamos explicar:

Desde tempos imemoriais, os antigos sumérios, moradores da Mesopotâmia já usavam a “Ciência dos Números” para atrair prosperidade. Depois vieram os caldeus, os egípcios, os romanos e os hebreus, que se transformaram em judeus (religião judaica). Através de um estudo da data de nascimento de uma pessoa, mais o seu nome cabalístico (Mapa Numerológico Cabalístico Pessoal), é possível dizer, com certeza, se aquela pessoa será ou não feliz, próspera e saudável ao longo da vida. Um bom exemplo é o de que, entre os mil homens mais ricos do mundo, 937 são judeus, com nomes perfeitos.

Já as energias positivas que devem ser atraídas, podem ser através de rituais simples, feitos com velas coloridas. Tais rituais podem ser para atrair dinheiro e fortuna, amor e harmonia, proteção, auto-melhoramento, encorajamento, cura para o corpo, tratar de situações difíceis, ou até mesmo para tornar fértil um útero estéril.

Para se fazer este último ritual a pessoa deve, numa sexta-feira de lua Cheia, acender uma vela verde-claro (a cor da fertilidade) e repetir o encanto, duas vezes: “Ó gloriosa Mãe da Noite; dê-me a sua maternidade, nesta noite bela. O amor desta noite eu dedico à Tua Majestade, de modo que meu ventre avolume-se com a certeza de que uma criança saudável e forte nascerá de mim!”. Após ler este encantamento, duas vezes, ler o Salmo 103. Acredite, funciona.

Para saber mais magias e encantamentos, leia o livro: “A Magia das Chamas” que pode ser encontrado no site: www.shopplar.com.br.

Já os cuidados que uma mãe ou qualquer pessoa deve ter a respeito da espiritualidade (assunto longo e complexo), aconselho a todos que, na medida do possível, meditem, pois em recentes pesquisas realizadas nos EUA com mais de 60 mil pacientes de hospitais e voluntários os mais diversos, constatou-se que depois de meditarem de 15 a 30 minutos diariamente, após três meses:

* 56% não mais adoeceram;
* 87% apresentaram diminuição de problemas de coração e circulação;
* 55% eliminaram o câncer;
* 87% diminuíram as doenças nervosas;
* 73% diminuíram as doenças de garganta, nariz e pulmão;
* Acima de 40 anos, 67% diminuíram gastos com a saúde e rejuvenesceram.

Carlos Rosa – Ph.D em Patologia Social, Numerólogo Cabalístico e diretor da Academia Brasileira de Numerologia Cabalística. www.professorcarlosrosa.com.br

Busca de uma vida saudável com felicidade

Lançamento do endocrinologista Filippo Pedrinola impulsiona a mudança de hábitos no nosso dia a dia

Com o passar dos anos, mudar determinados hábitos torna-se uma verdadeira missão. Pensando nisso, o nosso colunista, o endocrinologista Felippo Pedrinola acaba de lançar um livro para carregarmos na bolsa e que vai impulsionar mudanças importantes. Em ‘Um convite à saúde’, Editora Abril, o autor revela, com clareza, a necessidade de se estabelecer conexões entre corpo, mente e espírito, para quem busca uma vida saudável e plena. 

Não adianta comer bem e ficar parado ou fazer ginástica e não dormir direito. Também não basta olhar para o corpo sem cuidar da mente e sem observar como o modo de encarar os problemas influencia nas suas emoções. A novíssima Medicina entende que tudo no nosso organismo funciona de maneira integrada.

Respeitando nossos gostos, desgostos, convicções e rejeições, o livro nos mostra que não há sacrifícios quando o assunto é saúde, porque um único ajuste no estilo de vida já é capaz de desencadear um círculo virtuoso.

Em capítulos saborosos, Pedrinola apresenta dilemas comuns a todos nós. São questionamentos sobre envelhecimento, sobre o papel do sono, sobre as diferenças entre homens e mulheres, a interferência das emoções. E não nos deixa esquecer o principal: a saúde é uma grande conquista que está em nossas mãos.

Está esperando o que? O exemplar custa apenas R$ 24,90 e está disponível em bancas de revistas e livrarias